DJ JAMAIKA em entrevista exclusiva. ” A Raiz do RAP está morrendo.”

O Renomado Rapper do Distrito Federal DJ Jamaika dono de diversos clássicos do Rap Nacional  e fundador do Grupo Álibi juntamente com seu irmão Kabala , nos concedeu uma entrevista exclusiva aonde fala sobre carreira, hip-hop, sonhos e novo disco novo.

RAP NACIONAL MUSIC– o que você acha da cena do Rap atualmente ? 

DJ JAMAIKA – Eu acho que nunca em todos os tempos a gente precisou tanto se unir
estamos vendo tantos estilos aparecendo ,coisas novas, e a gente ver o Rap
antigo ,o Rap original,o inicio de tudo sendo apagado, e a gente sabe que é uma árvore
a partir do momento que matar a raiz a árvore cairá por terra, infelizmente essa nova geração não acordou pra isso
a gente vê no EUA tanto eventos de Rap pra honrar a raiz dos que começaram o hip-hop nos anos 80,70,e até 60
e essa raiz está secando, a raiz do Rap está secando , a raiz do hip-hop, eu não falo só
em direção ao rap , mas em direção ao Hip-Hop total ,eu não vejo honra pra esses caras
e se a nova geração está no topo dessa árvore, não regar a raiz , a queda será maior.

RAP NACIONAL MUSIC – Quais são os próximos caminhos, já existe algum projeto em andamento ou algum novo trabalho em mente ?

DJ JAMAIKA – Estou com um disco pronto , com o título , mais Rap no sangue e menos sangue no Rap
uma frase que criei exatamente pra criar mais consciência dentro do Rap , o Rap eternamente tem que ser protesto, tem que falar da periferia , das pessoas que passam dificuldade , pois esse é o Rap que sempre fazemos , então estamos falando exatamente disso, tem algumas evoluções é claro
mas a gente não abre mão do estilo que a gente criou , o Rap do Distrito Federal é Álibi
Dj Jamaika e Rivas , que foi criado com um estilo , com o Boombap pesado e os Gravão, e não abrimos mão desse estilo, estamos com esse trabalho novo preparado e estamos
com diversos outros trabalhos , fizemos o Hip-Hop contra a fome aonde colocamos 10.000 pessoas na rua , e arrecadamos quase 10 toneladas de alimentos que foram revertidos pra famílias da periferia com um cadastro prévio, é óbvio que todos precisam , mas existem os que precisam mais.

RAP NACIONAL MUSIC – O que você acha do momento em que o Rap Nacional está vivendo, acredita que toda essa exposição é um bom sinal ou seria um ponto negativo ?

DJ JAMAIKA – Eu acredito muito que o Rap tem que está na mídia, estivemos muito fora
escondido, sendo trator andando devagar, as vezes falta o combustível , as vezes devagar
as vezes voltamos pra trás e andamos mais um pouco, ninguém tem mais que provar nada pra nínguem, já temos nosso jeito de vestir e  jeito de chegar , aonde chegamos agora somos respeitados pelo que somos , apenas estamos desorganizados, existe a mídia reversa  de quem não quer ir na tv, e a mídia vem atrás do cara saber o porque dele não ir na tv , quando menos espera ele tá na tv, tem quem diz que não bebe coca cola,  apenas bebe se não for pagar se for visto por esse jeito ninguém vive, cada um procura a sua mídia da sua forma, o Hip-Hop tem que está na mídia mesmo e sem balela e caô , esse lance de que quem tá lá na midia é playboy , é caô , todo mundo quer ter dinheiro , seja quem for mas sustenta sua família , dê estudo a sua família, ou vai querer ficar o resto da vida usando a camisa do Rap e ficando pobre essa é a fita morô, deixa de babaquice que o que você for fazer é coisa de playboy, deixa esse lance do passado de que tudo é do movimento , seja um profissional na sua área, e ganhe dinheiro com o que você faz quando a oportunidade bater sua porta, seja um profissional.

RAP NACIONAL MUSIC – Qual foi o maior ensinamento que o Rap-Hip-Hop pode lhe ensinar?

DJ JAMAIKA – O Maior ensinamento que o Hip-Hop me trouxe é que eu não posso confiar nele
eu tenho que acreditar em mim, eu tenho que acreditar que o que eu faço tem que
me levar adiante, eu canto em um estilo chamado Rap que está dentro do Hip-Hop
então eu tenho que ir adiante, o maior ensinamento é não deixar o Hip-Hop nos levar
temos que andar junto , não podemos andar abaixo dele, o Hip-Hop é um grande traidor
se você der mole , acha que tem nome demais , mas não consegue viver do que faz
você tem que sobrepor e saber que o Hip-Hop que precisa de você e não você dele.

RAP NACIONAL MUSIC – Maiores Influências Musicais?

DJ JAMAIKA – A minha maior influência musical dentro do Brasil não tem outro é Gérson King Combo
eu falo dentro do Brasil e não tem outro , esse negrão monstro é o cara que faz a música
dos negrões que lutou nos EUA nos anos 70, tem que valorizar esse cara, esse cara é o James Brown brasileiro e não tem outro , porque o dia que perdemos esse cara não teremos outro, e quando vem agora estão colocando ele em um lugar e outro, temos que valorizar esse monstro, depois que perder é tarde, Gerson King Combo sou discípulo desse cara.

RAP NACIONAL MUSIC – O Rap Nacional Music está situado no Espírito Santo que se firma como o Estado brasileiro que mais investe na estruturação do seu sistema prisional, acredita que tem que se investir ou deveriam olhar mais para a educação ?

DJ JAMAIKA – Eu Acredito que tem muitas formas de estarem investindo dentro das prisões
temos que combater o erro e não o Ser-Humano , temos que usar o Hip-Hop dentro das cadeias e casas de detenção, presidio infantil e feminino , pois faz parte
da nossa cultura periférica, tem tantas formas de usarmos o Hip-Hop para levar a mudança
claro que não conseguiremos 100% , temos que levar também dentro das escolas pra nossas crianças
para que se conscientizem e se não tratarmos as crianças nas escolas elas serão os futuros
presos , temos que tratar a doença agora para que no futuro ela não floresça.

RAP NACIONAL MUSIC – Olhando lá de trás,do início da sua carreira, hoje você diria que alcançou os seu objetivos? 

DJ JAMAIKA – Eu acredito que ainda não alcancei meu objetivo dentro do Hip-Hop
eu quero algo mais , como eu disse antes queria que o Hip-Hop seja respeito como cultura
e não como subcultura, que seja respeitado como cultura como ele é, e é uma cultura familiar a gente viu no inicio dos anos 90 , final dos anos 80 pra 90 , a mulecada ouvindo Rap escondido dos pais pois diziam que era música de bandido, hoje em dia o trabalhador incentiva seus filhos ouvirem o Rap que é o caminho e é a música que trilha caminhos, estamos na quarta geração do Rap os netos e até bisnetos estão escutando, é a música de dentro de casa e nunca vai passar não é a música momentânea é a que escutamos desde 86 e nunca fica pra trás, sempre é atual meu objetivo que o Rap seja conhecido como cultura e seja levado pra dentro das escolas , se as crianças não querem aula de educação física , vamos fazer aula de breakdance, de dj de rap e etc, esse é o meu objetivo , que o Hip-Hop seja levado pra dentro das escolas esse é o meu grande sonho , assim meu objetivo será alcançado.